Uff

Uff

Viver saber oque e sonhar

Aprendemos na revolta da vida louca das cidades de pedra a viver sem ouvir a súplica dos desajustado da sociedade medieval hipótese que vem sendo cada vez mais grande nos conflitos sociais e econômicos desse país , me importo com meu país e claro que sim moro nele

"Olha, desculpa falar assim, mas não acho você adequado pra ela. Aliás, sendo honesta, eu nem gosto de você. Mas isso não importa. Eu tenho muita inveja dessas pessoas maravilhosas, adultas, evoluídas e espertas que conseguem separar a hora de ir a uma reunião de condomínio com a hora de desejar alguém na escada do condomínio. A hora de marcar o dentista com a hora de engolir alguém. A hora de procurar a palavra “macambúzio” no dicionário com a hora de se perder com as suas palavras que de tão simples parecem complexas. A hora de ser inteira e a hora de catar meus pedaços pelo mundo enquanto você dá sinais desmembrados. Eu não consigo nada disso, eu me embanano toda, misturo tudo, bagunço tudo. A minha única dúvida é se sou a única idiota a fazer isso comigo ou se sou a única idiota a admitir que faço isso comigo."

Tati Bernardi (via segredou)

(via vicricamed)

vicricamed:

Revirando a noite , na fria e intensa madrugada … Lembro de momentos que adoraria esquecer … Do cheiro do café , do olhar serrado , do largo sorriso do abraço apertado … Gostaria d esquecer de tudo que passamos nas noites de bebidas etc…
Luto no luto como quem se fere nos espinhais do jardim …….

Contos da meia noite

Reflexicao de uma louca

Parada em frente ao espelho do quarto em uma noite de início d verão ao retirar minhas lentes de contato . Pensei
Oi td bem ?
Sim, quem é vc ?
Eu sou vc e vc e eu somos um só .
Somos?
Sim somos .
Como chegamos a isso ?
Simples você precisa de mim e eu de vc pra viver se vc sofre eu sofro se vc morre eu morro afinal somos uma só loucura .
Me olho de novo no espelho ,
Estou louca?
Não diria louca se a sua sanidade ainda é louvável .
Então ?
Digamos que faço parte do seu inconsciente de desejos e medos .
Então por que sofremos , vc é a razão eu deduzo e eu a emoção.
Certíssimo ! Gosto d sentimentos inteligentes , então me conte , por que andas triste ?
Hã eu ?
Sim vc mesma ….
Eu não ando triste .
Não precisa mentir pra mim .
Oras se vc é eu vc deve saber então .
Ficamos mudos por um breve tempo até a razão falar .
Vamos sorrir mais e cuidar mais da gente ?
Acho melhor.
Vc está cansada de ser sugada né
Sim estou mas não conta lá em casa .
Entendi , e o vazio vai mesmo deixar assim ?
Por hora vou sim não posso me dar ao luxo de ser feliz assim como gostaria .
Gostei do que disse mas é dp que conseguir ?
Dai vou atrás da minha felicidade .
Vc sabe que isso é suicídio né !
Sim eu sei mas faz parte amo aventuras.

Do um largo sorriso no espelho
Olho pros lados e vou ao banheiro
Entro no quarto fico em silêncio e fecho os olhos que não param de arder
Lembro da minha música
Já tive que ir a missa obrigado Já tentei ser um homem casado Já aprendi a fingir meu sorriso Já fui sincero e já tive juízo Já troquei de lugar minha cama Já fiz comédia, eu já fiz drama Já ouvi cada voz que me chama Eu já fui bom e já tive má fama Já fui ético, antipático, fui poético, fui fanático Fui apático, fui metódico, sem vergonha, fui caótico Eu já li Paulo Coelho, eu já escutei tudo que era conselho Eu já preguei o evangelho Cheguei a achar que eu era velho Já fiz tanta coisa que nem me lembro Do que eu era contra ou fui a favor O que me dava prazer, hoje só me dá dor Nunca aprendi o que é o amor E ouvi uma voz, que diz: “não há razão Você sempre mudando, já não muda mais” E já que estou cada vez mais igual Não sei o que fazer comigo Já chorei de tanta mágoa Já fiz tempestade em copo d’água Já tentei a sorte na gringa, já aprendi que não tenho ginga Eu já votei em tucano, já fui ovo-lacto-vegetariano Insano, já fui santo e profano Fiz na sua frente e por baixo dos pano Já estudei teologia e não creio mais naquilo em que cria Já sofri de claustrofobia, de teimosia e cleptomania Já provei, já fumei, já tomei, já deixei Assinei, viajei, já peguei Já sofri, já iludi, já fugi, já assumi, Fui e voltei, afirmei e menti E com toda essa falsidade Minhas mentiras já são verdades Já tive de tudo o que queria, E já me contentei com mixaria E ouvi uma voz, que diz: “não há razão Você sempre mudando, já não muda mais” E já que estou cada vez mais igual Não sei o que fazer comigo Já fui em cana, já tive grana Passei rasteira em muito bacana Opinei e me equivoquei Nunca assumi pra ninguém que errei Sem diploma, nem salário, já fui sócio majoritário Já escrevi tanto nome no braço Eu já preenchi tudo que era espaço Fui psicólogo, fui astrólogo, já fui leigo, fui enólogo Fui alcoólatra, fui atleta fui obeso e já fiz dieta Já cuspi e mandei pro caralho O lugar onde hoje eu trabalho E agora eu só me distraio fazendo versão de rock Uruguaio E ouvi uma voz, que diz: “não há razão Você sempre mudando, já não muda mais” E já que estou cada vez mais igual Não sei o que fazer comigo E ouvi uma voz, que diz: “não há razão Você sempre mudando, já não muda mais” E já que estou cada vez mais igual Não sei o que fazer comigo…..

Primeiros erros
Meu caminho é cada manhã
Não procure saber onde estou
Meu destino não é de ninguém
E eu não deixo os meus passos no chão
Se você não entende não vê
Se não me vê, não entende
Não procure saber onde estou
Se o meu jeito te surpreende
Se o meu corpo virasse sol
Se a minha mente virasse sol
Mas só chove, chove
Chove, chove
Se um dia eu pudesse ver
Meu passado inteiro
E fizesse parar de chover
Nos primeiros erros
Meu corpo viraria sol
Minha mente viraria sol
Mas só chove, chove
Chove, chove
Se um dia eu pudesse ver
Meu passado inteiro
E fizesse parar de chover
Nos primeiros erros
Meu corpo viraria sol
Minha mente viraria sol
Mas só chove, chove
Chove, chove
Meu corpo viraria sol
Minha mente viraria
Mas só chove, chove
Chove, chove
Meu corpo viraria sol
Minha mente viraria sol
Mas só chove, chove

Sol silêncio chuva

Ao acordar na varanda de casa ,ainda tremula pela noite de lua cheia ,levanto-me lentamente ,em passos curtos entro na casa de madeira ,subo as escadas brancas cada passo escorre uma legima em meu olho nulo de vida ,paro na frente do quarto aberto com sol e janelas abertas ,a dor me consome levo minha mao direita ao meu peito dolorido, aos choros vou galgando ate o chuveiro .
Agua escorre pelo meu corpo machucado de galhos e espinhos da noite anterior ,ainda sinto seu perfume ,”deus como e difícil esquecer você”,ao me olhar no espelho não me vejo ,te vejo,clara obsecao coloco um shorts azul claro e uma regata branca ,penteio meus cabelos cumpridos claros ,respiro fundo pego meu tênis de corrida no armário que você montou ,lembra como pintamos ,tudo por aqui ,e difícil esquecer algo tão presente em cada passo dessa casa desse lugar distante ,saiu porta a fora corro ,corro ,corro .
Vento passa pelo meu lado como se guiasse meu corpo de volta pra quela velha rua em que brincávamos na chuva de outono ,corro adiante eufórica ,quando me dou conta estou chorando .
Corro o mais rápido que consigo ,na esquina de casa eu vejo eu vejo você meu grito meu berro meu surto meu ar meu coração explodem num surto desenfreado corro pra você pra nos por mim ,quando chego na porta de casa era apenas imaginação ,você não estava ali me vejo sozinha mais uma vez comos braços em volta do meu corpo grito caindo de joelhos na porta da frente .

Salveme curame fique aqui .

Curvada na porta de entrada ,”volta por favor !!!”choro uivo grito .”oi”foi oque ouvi de loge enquanto gritava na mais profunda dor emcolhida no chão “volta”,”pare de chorar ,estou aqui “,pensando em tudo o que vivemos e agora estou louca ouvindo sua voz ,minha voz trava ao sentir aquele toque na minha cintura me levantando novamente ,o olho olho olho não acredito deus como eu rogei pedi por você ,com os olhos cheios de lagrimas você me toma em seus braços num longo beijo .confusa mas feliz te abraço como se não existisse mais nada além de nos ,novamente estava tudo bem ,inacreditável pensei .
Como os ventos deus a lua me ouviram em seus bracos me acalmo me fecho e choro ,você me acolhe me pega e leva pra dentro ,sobe nossas escadas entra em nosso quarto me coloca na cama ,me beija a testa me acalma a alma ,”você vai ser forte por nos ,por mim por ele,eu te amei e te amarei pelo universo ate as estrelas das galáxias mais profundas, te vejo em breve”,com um sorriso largo ele olha a janela ,a luz invade o quarto .
O som do despertador nunca pareceu mais gritante naquela manha de fevereiro ,hoje fez um ano que você nos deixou me deixou ,olho ao lado e vejo ele dormindo com um ar sossegado hoje meu amor faz um ano de idade ,deilhe o nome do pai tomas ,nosso amor esta ligado em você tomas ,pensei enquanto acariciava seu rostinho angelical ,o aroma de rosas invadiu o quarto ,”meu deus que sonho “.ao olha lo vejo que meu ar minha vida meu amor voltaram .
ps:escrevo esta carta em meus sinceros sentimentos ,pois sempre serei grata a vida aos momentos e ao amor que me fez conhecer e deixou.
Te amarei ate o fim dos meus dias .

Sol silêncio chuva

Noite calma cama fria

Ao a noitecer estava a olhar as fotos que nós fizemos naquele verão de fevereiro
Lembra como nos abraçávamos ao redor de nós mesmo
E sem perceber estava tudo bem …. Hoje revendo aquelas lembranças que um dia nos fizeram completos
Lágrimas escorrem dentro de mim em passo sufocados
Nossa cama hoje fria se aquece nas lembranças dos risos sufocados
Sentada no chão de joelhos calejados
Faz tempo que o sol não brilha em mim em nós. Continuo sentada na agonia mesquinha dos meus dias . Agora queimo tudo que você me deu nossas caixas com você dentro queimao , nas chamas dessa noite que ressaltam meu olhar flamejante recito em súplica ” vai , vai , vai alma maldita sem rumo vai vazio trêmulo , voa pássaro de almas caídas , nas marés das águas de mainha lhe entrego . Meu amor foi puro e burro mas sou fênix que surge e ressurge das cinzas com cicatrizes nas asas , te liberto . Mas lhe rogo que nunca há de ser feliz sem nossa casa nossa cama , nunca será feliz sem o meu amor , mas vá deixe o tempo disser Oque será melhor , sou a fênix e a flor que prende o beija-flor em todas as manhãs de verão “, ao terminar de recitar sua rogação vou para o jardim de espinhais atrás da colhina de casa , no Carvalho roxo sobre a lua amarela enterro nossas lembranças que queimao é vivem pelo vendo , com as mãos sujas de terra um vento forte de início de verão vem me acolher ” vai vai vai meu amor vai mas volte volte volte assim como o tempo passa você voltará pra mim , o universo compirra a favor dos enamorados da lua do mar ” . Com olhar baixo e arredio choro e rogo rogo rogo a natureza que vejo , levanto sem olhar pra trás andando de volta a casa suja de lama o vento vem me contar num surto de lokura você está voltando pra casa meu peito despara corro num surto abundante pulo galhos grito de agonias o vento em minha alma o ar volta à luz da lua brilha mais forte forte forte e oque eu sinto ao correr pra porta da frente quase num suspiro de berros abro a porta da frente e vejo a escuridão que me cercava caiu em prantos na porta de casa os gritos que dei se transformam em uivos tudo fica escuro , vento vem vem vem mais forte limpo as mãos na blusa de sétim branco .
Deitada no chão suja de terra olhando a rua escura não há o por que levantar …. Me contradiz quando disse que era pra você ir não tem como você ir e me deixar aqui aos. Uivos da lua que fica a me guiar nos ventos de verão .
Levo minhas mãos ao meu rosto molhado , gritos abafados , serei isilado ou esquecido por você por mim …. A dor consome …. O chão vira meu melhor aliado …..

Viva pizza

Viva pizza

Boa noite kkk

Boa noite kkk

http://mob.li/_ez8VH